terça-feira, 25 de setembro de 2018

Motorola 90 anos: nove marcos que transformaram a história da empresa

Em Chicago, no dia 25 de setembro de 1928, os irmãos Paul e Joseph Galvin criaram a empresa que depois se tornaria a Motorola: a Galvin Manufacturing Corporation, com apenas um produto e cinco funcionários. Agora, com #Motorola90Anos, não há dúvida de que a Motorola revolucionou a indústria da tecnologia. 

Acompanhe nossa viagem pelos 90 anos de inovações e revoluções tecnológicas e confira como a Motorola mudou durante esse período.

1) “Adeus” a Galvin e “hello” Motorola

Em 1930, a Galvin Manufacturing lançou o rádio automotivo Motorola. O nome da marca se tornou tão popular que, em 1947, a Galvin Manufacturing Corporation mudou seu nome para Motorola Incorporated. Apenas oito anos mais tarde, a icônica “asa de morcego” da Motorola foi criada.


2) Nosso primeiro produto resolveu os problemas de duração de bateria da década de 1920; nosso mais recente resolve a necessidade atual de velocidade

O primeiro produto da Motorola foi projetado em 1928 para tratar de um problema que permanece até hoje: a duração da bateria. O eliminador de bateria da Galvin Manufacturing era um conversor de potência que permitia que rádios de pilha usassem a corrente elétrica. Fiel ao nosso DNA, nunca deixamos de entregar aquilo que mais importa para o consumidor. Um dos produtos mais recentes da Motorola, o moto snap 5G, por exemplo, traz velocidades 10x mais rápida que a tecnologia sem fio atual e maior conectividade.

Você sabia que, com a velocidade 5G, é possível baixar a última temporada de sua série favorita em alta definição enquanto você espera o avião levantar voo? 

3) Do rádio ao milímetro, com certeza fizemos algumas ondas


Em 1943, a Motorola desenvolveu o primeiro rádio FM bidirecional portátil do mundo. Desde então, a Motorola também trouxe o primeiro transistor de alta potência do mundo; o primeiro telefone celular portátil; e o primeiro pager bidirecional, para citar apenas alguns exemplos. Mais recentemente, a Motorola lançou o primeiro telefone celular compatível com a rede 5G : o moto z3 com um moto snap 5G para que os usuários possam se conectar à rede 5G da Verizon, quando esta for lançada1. 

Você sabia que, com 900 g e 25 cm de comprimento, o primeiro telefone celular portátil comercializado no mundo, o Motorola DynaTAC 8000x, tinha o tamanho de um tijolo e o peso de um abacaxi?

4) Evoluímos do pager do tamanho de uma caneta para um celular tão fino quanto uma lâmina 


Em 1982, a Motorola lançou o pager Sensar, com um desenho único, do tamanho de uma caneta, e uma aparência radicalmente diferente dos outros pagers no mercado. Pesava apenas 56 g, tinha o tamanho de uma caneta esferográfica e cabia facilmente no bolso. Depois, em 2004, o inovador Motorola Razr V3 teve um impacto no design dos telefones celulares. E, com seu corpo de alumínio, o Razr V3 foi o primeiro celular que também se transformou em um acessório de moda. O modelo vendeu mais de 130 milhões de unidades, o celular flip mais fino e mais vendido do mundo.

5) Do pager acoplado aos modernos moto snaps




Por que carregar um celular e um pager? Em 1995, o pager numérico Motorola RSVP se acoplava a qualquer modelo MicroTAC, criando uma combinação entre os dois. Hoje a Motorola continua expandindo os limites do telefone celular, com a família moto z e os moto snaps. Lançado em 2016, o moto z é mais que um simples smartphone: conecte um moto snap, e transforme-o em um projetor, uma impressora de fotos, um alto-falante e muito mais.

6) Do Monte Everest à Lua, a Motorola esteve lá! 


Durante os últimos 90 anos, a Motorola esteve em todos os lugares do planeta e além! Em 1969, o rádio transmissor da Motorola a bordo do módulo lunar da Apollo 11 retransmitiu as primeiras palavras da Lua para a Terra. Em 2007, 38 anos depois, o alpinista Rod Bader escalou o pico mais alto do Monte Everest e utilizou um Motorizr z8 da Motorola para fazer a chamada telefônica (e envio de mensagem de texto) da maior altitude terrestre.

7) De 1900 até os anos 2000, nunca paramos de criar best-sellers

Em 1986, a Motorola lançou o pager mais vendido do mundo: o Bravo! O pager numérico tinha a capacidade de armazenar cinco mensagens de 24 caracteres. O que era muita coisa na época. No novo milênio, o Motorola V60 foi lançado nas três tecnologias celulares existentes – GSM, TDMA e CDMA – e rapidamente tornou-se um sucesso de vendas, com acesso à internet, mensagens de texto e discagem ativada por viva-voz.


8) De Chicago para o mundo


Apesar da Motorola sempre considerar Chicago seu lar, a empresa não demorou para desenvolver uma presença global. Em 1952, a primeira subsidiária internacional da Motorola foi inaugurada em Toronto, no Canadá, para produzir rádios e televisores. De lá para cá, a Motorola nunca parou de crescer, com forte presença em vários países da Europa, América Latina, Ásia e China.

Você sabia que a primeira venda registrada de um produto da marca Motorola fora dos Estados Unidos aconteceu em junho de 1930, com a venda de dois rádios automotivos para W. Oldenburger, na Cidade do México?

9) O melhor ainda está por vir!

Aviso Legal
1 Conectividade 5G disponível com o moto snap 5G (vendido separadamente em 2019) e cobertura da rede 5G (lançada em locais selecionados em 2019 e expansão na sequência). Veja www.verizon.com/about/our-company/5g para mais detalhes.

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Pesquisa on-line da Motorola identifica que pelo menos 40% dos brasileiros são dependentes dos smartphones

Pesquisa, que faz parte da campanha Phone Life Balance da Motorola, teve mais de 20 mil participantes, a maioria entre 10 e 29 anos


A Motorola, empresa que criou o primeiro celular, há 45 anos, lançou neste ano uma plataforma global chamada Phone Life Balance, que questiona o uso inteligente e equilibrado da tecnologia, no caso dela, diretamente o smartphone. Para descobrir como é a relação dos consumidores da Motorola com seus smartphones, a empresa desenvolveu uma pesquisa on-line com dez perguntas simples, que estabelecem cinco perfis de usuários: telesapien, teleconsciente, teledependente, teléfilo e telefanático.

No total, 20 mil pessoas responderam à pesquisa no Brasil, por meio do site da marca e das redes sociais, de forma orgânica. O resultado revela que  41,52% dos participantes se enquadraram no perfil teledependente, aquele que nunca deixa de utilizar o telefone, fica no celular de manhã, antes de dormir, sempre que pode usa no tempo livre e se pega olhando para o aparelho só pelo fato de ele estar lá.

Em contrapartida, 32% dos pesquisados se enquadraram no perfil teleconsciente, ou seja, alcançaram um estado de equilíbrio no uso do smartphone. E apenas 5,56% se enquadraram no perfil telesapien, que usa o telefone apenas para o básico, como ver a hora e fazer ligações e não gosta nem de enviar mensagens de texto. A pesquisa ainda aponta que 1,5% são telefanáticos: nunca ficam sem telefone e sentem-se vulneráveis e estressados sem ele.

Os cinco perfis estabelecidos na pesquisa e suas porcentagens de usuários são:

-        Telesapien (5,56%): aquele que usa o telefone apenas para o básico, como ver a hora e fazer ligações, e isso é tudo. Não gosta de enviar mensagens de texto, porque acha muito demorado digitar com o indicador e não publica nada em suas redes sociais. No dia a dia, o “não perturbe” é seu modus operandi. Sua vida não está em perigo de ser dominada pelo smartphone, porém um pouco de mobilidade poderia tornar seu dia mais produtivo.

-        Teleconsciente (32,47%): alcançou um estado de equilíbrio no uso do smartphone. Vive a vida com o telefone, mas não dentro dele. Usa o dispositivo para economizar tempo e energia, que pode investir em coisas mais importantes. Entende o valor de seus relacionamentos e sabe como aproveitá-los ao máximo. Estabelece horas para usar o telefone e também para curtir seu tempo livre, pois compreende que o equilíbrio é necessário. 

-        Teléfilo (18,98%): a pessoa que não resiste ao seu smartphone. Usa em momentos de descanso, só porque ele está ali, disponível. Sente ansiedade quando o telefone acusa menos de 10% de bateria. Sempre acha que está fazendo muitas tarefas com o celular, mas, na verdade, está com muitas distrações. Com frequência, pega o telefone para ver a hora ou a previsão do tempo e acaba se perdendo em outras coisas, sem nem sequer ter visto aquilo que realmente procurava. O comportamento com o telefone corre o risco de tornar-se automático.

-        Telefanático (1,5%): nunca fica sem usar o smartphone. É a primeira coisa que faz pela manhã, a última que faz à noite, e em qualquer momento no meio do dia. Com frequência, se pega olhando para ele sem saber o porquê. Ficar separado do telefone, mesmo que por alguns instantes, faz com que se sinta vulnerável e estressado. A relação com o celular atrapalha o relacionamento com os amigos e familiares, pois prefere enviar mensagens de texto a falar pessoalmente com alguém, e sente necessidade de responder às mensagens imediatamente, não importa quem, ou o quê, tenha de interromper para fazê-lo. 

-        Teledependente (41,52%): nunca deixa de utilizar seu telefone, uma realidade bastante negativa em vários sentidos. Fica no celular de manhã, antes de dormir e sempre que puder. Usa no tempo livre e se pega olhando para o aparelho só pelo fato de ele estar lá. Separar-se do telefone, mesmo por apenas alguns minutos, o faz sentir-se vulnerável e estressado. Há uma etiqueta implícita que estabelece quando e onde usá-lo, mas ele simplesmente não consegue seguir essa regra. Nesse ponto, o estudo descobriu que 65% dos entrevistados admitem sentir pânico ao pensar que perderam o smartphone, e que 29% concordam que, quando não estão usando, estão pensando em usar o celular na próxima vez em que estiverem com ele. 

Do total dos participantes, 63% eram do sexo masculino e 70% da faixa etária de 10 a 29 anos; 77,54% utilizaram exatamente o aparelho celular, para responder à pesquisa. Entre as respostas a algumas das perguntas, 27,7% disseram que mantêm o smartphone ao seu alcance durante as 24 horas do dia; 36,8% deixam o celular virado com a tela para cima na mesa, durante o jantar; 30,2% responderam que, ao usar o banheiro, é 100% provável que levem o aparelho; 76% checam o dispositivo antes de sair da cama; 44,77% responderam que é provável que olhem o celular quando seus amigos o fazem; e 41% ignoram quando chega uma mensagem, se estão conversando com alguém. 

Em outros países da América Latina, o número de teledependentes também alcançou a maior porcentagem dos pesquisados. No México, o total foi de 40,79%, na Colômbia, 38,54%; no Chile, 37,88%; e, no Peru, 41,17% dos usuários que responderam ao quiz. Já na Argentina, a maior porcentagem foi de teleconsciente, com 37,9%. 

Para fazer o teste e descobrir como é o seu equilíbrio com a tecnologia , acesse: https://phonelifebalance.motorola.com.br.

O estudo, publicado pela empresa independente Ipsos, foi feito em parceria com Nancy Etcoff, especialista renomada em Comportamento Mente-Cérebro e na Ciência da Felicidade, pela Universidade de Harvard, e psicóloga do Departamento de Psiquiatria do Hospital-Geral de Massachusetts. 

Siga as novidades da Motorola nas redes sociais:

Instagram: https://www.instagram.com/motorolabr
Facebook: https://www.facebook.com/MotoBRA

Informações para a imprensa – Motorola
RP1 Comunicação

Nerusa Palheta
Marcos Brolia

Luciana Vedovato – diretora de Comunicação América Latina da Motorola Mobility, a Lenovo company.

RP1 Comunicação
Tel.: 11 5501-4655 | 5102-4146

www.rp1.com.br

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Motorola inaugura Assistência-Conceito em Campinas

Localizada no bairro Taquaral, unidade é referência no programa de pós-vendas e oferece atendimento privilegiado ao consumidor final



São Paulo, 11 de setembro de 2018 - Com o objetivo de oferecer a melhor experiência de pós-venda do mercado de telefonia móvel no País, a Motorola inaugura sua Assistência-Conceito no bairro Taquaral, em Campinas. A loja é a primeira assistência-conceito da marca aberta fora das capitais. 

Entre os serviços implementados para levar mais conforto e eficiência a cada usuário Motorola, estão a comunicação com o consumidor para informações do reparo via whatsapp, um sistema de atendimento na rede de assistência técnica com hora marcada; e um atendimento capaz de realizar reparos mais complexos no próprio local. Com a assistência de Campinas, a Motorola chega a 8 unidades espalhadas pelo Brasil. Entre as localidades estão Recife, Brasília, Salvador, Rio de Janeiro, Curitiba, João Pessoa e São Paulo.

As unidades possuem visual moderno e colorido, e trazem como grande inovação um formato que oferece um primeiro atendimento no tempo máximo de cinco minutos. "Construímos modernos laboratórios de reparo dentro das próprias assistências. Dessa forma, reduzimos o tempo médio de espera destes clientes para ter o seu reparo realizado e mais de 95% deles ocorre em até 48 horas, afirma Rodrigo Rosa, gerente de pós-vendas da Motorola.

Outra melhoria implementada no programa de pós-vendas foi a integração do call center com a rede de assistência técnica autorizada da Motorola. Agora, o cliente encaminhado à assistência técnica pelo call center recebe um código para a abertura da ordem de serviço na assistência, que traz o histórico completo do caso do usuário e o inverso também ocorre, quando um usuário vai a assistência, todo o detalhe do reparo fica disponível em tempo real para o call center.

O investimento na área de pós-venda também inclui treinamento e capacitação da equipe de assistência técnica e Contact Center, bem como em processos para agilizar o atendimento em sua rede de Serviços - SAMs, que contam com assistências técnicas autorizadas credenciados nas principais cidades do Brasil.

Para as regiões sem cobertura, a empresa oferece o Motocoleta, serviço de postagem de aparelhos em Garantia Motorola que funciona por meio de envio do produto para o Centro Avançado de Reparos da empresa, pelos Correios.

Para facilitar o acesso de informações ao consumidor, a Motorola também oferece no seu site um aplicativo para localização da assistência técnica mais próxima. O cliente só precisa inserir o CEP de onde está para achar a unidade que está mais perto dele.

Serviço:
Telefone: (19) 98819 - 4800
Endereço: Av. Júlio Prestes, 632, Taquaral – Campinas - SP
www.motorola.com.br


Informações para a imprensa – Motorola
RP1 Comunicação

Nerusa Palheta
Marcos Brolia
motorola@rp1.com.br


Luciana Vedovato – diretora de Comunicação América Latina da Motorola Mobility, a Lenovo company.